quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Ciumeira


Ah, doce flor do meu jardim
Que nasceu tão de repente
Queria tê-la só para mim
Mas sorri para toda gente

Cá eu fico um pouco assim
De ciúme bem doente
De um amor que não tem fim
De um sentir sempre presente

E ao vê-la encantada
Penso no que aconteceu
Mundo é grande, sou quase nada
E este mundo é todo seu:
Céu, lua, noite estrelada
Inclusive eu


Nenhum comentário:

Postar um comentário